Vimos por aí #5

4

Hello blacks!

Tudo belezinha por aí? Esperamos que sim, porque já estamos no ritmo ragatanga pro verão!

O Vimos por aí de hoje é especial a este mês que comemora a nossa negritude e a beleza de sermos quem somos.

Por isso já vamos começar com música, e música boa 0/

 

♥ O Virgula criou uma lista com 10 artistas negros que precisam ser conhecidos pelo mundo!

Como a lista é grande, selecionas 2 (sóóó???) e a gente super indica conhecer um pouquinho mais desses artistas e dos outros 8, no site

 

Essa é a FKA twiggs, a gente já comentou dela por aqui, mas a música (e a voz) dela é mais importante que o namorado… Dá o play!

 

E essa é a Tássia Reis, uma paulista que resolveu escrever suas letras e encaixar na melodia de um jazz misturado com hiphop. Depois de ouvir a de cima, volta aqui pra ouvir essa também!

 

♥ É tão bom a gente ter com quem conversar sobre os assuntos tão particulares de nós mulheres negras, não é? E tem muitas outras meninas pelo Brasil afora falando de make, cabelo e comportamento, assim como nós. E no Rio de Janeiro algumas blogueiras se uniram pra fortalecer a aceitação da beleza negras, por nós, mulheres negras. Confira aqui a matéria.

 

Normalmente nós passamos links diretos de matérias e artigos, mas encontramos dois sites tão legais que não dava pra escolher um artigo só, então acessem e divirtam-se:

Ninja e No Brasil

 

♥ Como nós queremos prestar um serviço de utilidade pública, confira este artigo que fala sobre o abismo social existente no Brasil entre negros e brancos.

 

♥ E se algum ~coxinha~ te disser que não existe racismo no Brasil, manda ele fazer o teste do pescoço!

 

♥ Como não podia ser diferente, teve muita gente falando sobre o dia da consciência negra.

Alguns mandando muito bem, como a Gabriela Moura do Blogueiras Negras. Outros nem tanto, como foi o caso dessa (no mínimo) controversa propaganda da Jhonnie Walker. Aliás, na legenda desse post tem um link (esse) onde a primeira coisa que você vê é a palavra “macaco” bem grande, e depois que mais elementos vão surgindo, aparece a #vocêfazofuturo, aí você vê o vídeo e entende porque a propaganda é tão imbecil, quanto você realmente achou que ela fosse. Um negro me dizendo que o melhor que se pode fazer com pessoas racistas é ignorar o ato de preconceito. Nós concordamos que não se deve partir pra violência NUNCA, mas descordamos veementemente que com a mensagem sublimar disso tudo que diz que o negro só sofre com racismo porque quer, porque é o próprio negro que dá ouvidos a isso e acaba sendo vítima. Aposto que o roteirista do vídeo e o redator do post eram brancos!

 

Queríamos mostrar muito mais coisas pra vocês, mas vocês não iriam nos suportar :/

Fica pra próxima.

Beijos e ótimo fim de semana pra vocês!

 

Consciência dos herdeiros de Zumbi dos Palmares

20 de novembro: uma data que é ao mesmo tempo é comemorada e questionada, nesse dia, lembramos a morte de Zumbi dos Palmares, um grande líder na luta pela liberdade do povo negro em nosso país e como forma de homenagem instituiu-se o dia da Consciência Negra, o que ainda gera muita discussões, principalmente por parte dos “proclamadores da igualdade”, que julgam essa comemoração como forma de separação entre as raças ou, acreditem, até mesmo como uma forma de racismo.

Essas afirmações contrárias à  comemoração do Dia da Consciência Negra me deixam incomodada, por que a todo tempo vejo outras etnias comemorando suas tradições e suas memórias e ninguém os aponta o dedo, discriminando, alegando que estão separando as pessoas por raça, dizendo que isso é um erro já que todos são iguais, estranho, não?

Fonte: www.bahiaatual.com/

Fonte: www.bahiaatual.com/

Em um dia desses, por conta de uma postagem no facebook, me questionaram o por que de eu encher a boca para dizer “meu povo”, quando me referia aos negros, fiquei intrigada com o incômodo que tal pessoa demonstrou, pois vejo todos os dias, principalmente na região em que vivo (sul de Santa Catarina), pessoas nascidas em solo brasileiro e vivendo aqui, afirmarem categoricamente e com muito orgulho, serem alemães, italianos, poloneses… e tudo isso é visto com muita naturalidade, então por qual motivo não posso me identificar os descendentes de escravos e chamá-los de meu povo? Já que devido ao tráfico negreiro e as e as medidas tomadas para a “domesticação” do nosso povo, não podemos afirmar com exatidão de onde nossos bisavós ou tataravós vieram.

Com certeza é preciso muito mais que um dia para que a nossa história seja lembrada ou celebrada, o ensino da cultura negra deve ser promovido nas escolas, a fim de promover o conhecimento e incentivar nossas crianças a terem orgulho de sua raiz, valorizarem o esforço dos nossos antepassados, fazendo valer toda a força que herdamos. Que esse dia se multiplique na nossa sociedade para que se tenha a consciência de que nós negros temos potencial para vencer qualquer obstáculo que essa sociedade hipócrita e racista nos impõe, devemos fazer valer a luta de Zumbi para que fôssemos livres dos grilhões, que atualmente deixaram de ser físicos, e passaram a ser mentais, minando nossa autoestima dia a dia.

Fonte: www.sescsp.org.br/

Fonte: www.sescsp.org.br/

Zumbi dos Palmares revive em mim, toda vez que demonstro o quão orgulhosa sou da minha cultura e do meu povo, por que sim, somos um povo, um povo que  mesmo com todas as dificuldades do cotidiano, sorri, canta e dança, um povo que faz duas vezes mais pra ter seu trabalho reconhecido, mas que mesmo assim não se dobra. Valeu Zumbi por lutar pela liberdade do nosso povo e nos fazer crer que a luta de uns é benefício para muitos, você viverá em mim, pois se hoje sou livre para dizer, fazer e ser o que quiser, devo isso ao seu sacrifício.

 

Google+