Mulher Negra: É o poder, aceita porque dói menos

por segunda-feira,10 outubro, 2016 0 , , 0

Hoje vamos de falar coisas boas, vamos falar do destaque das nossas mulheres negras em diversas áreas.

Após 30 anos tivemos uma nova Miss Brasil Negra, a linda Raíssa Santana; é claro que há muita discussão sobre esse tipo de concurso, que visa enaltecer o velho esterótipo de beleza, porém cá entre nós –  ver uma mulher negra  de cabelos crespos sendo consagrada a Miss Brasil, é um sinal de que as coisas estão mudando.

Adoraria motivar outras mulheres negras, quero poder incentivar as pessoas a irem atrás dos seus sonhos, correr atrás dos seus objetivos em qualquer setor da vida. É uma coisa muito legal poder, quem sabe, servir de exemplo – disse Raíssa em uma entrevista.

Acordei e não era sonho ❤️. Obrigada por tanto amor minha gente linda!!

Uma foto publicada por Raissa Santana (@santana_raissa) em

Essa edição do concurso também se destacou pelo número de participantes negras – no total tivemos seis meninas negras, na qual duas chegaram na final – uma das coisas que mais me chamou atenção, foi ver as outras candidatas negras comemorando a vitória da Raíssa como se fossem delas, naquele momento a frase: Uma sobe e puxa outra, fez todo sentido pra mim.

miss_brasil_2016_vou_de_preta

Em Belo Horizonte Áurea Carolina (PSOL), foi a candidata mais votada com 17.420 votos, desbancando muitos “políticos de carreira”,  sendo a candidata a vereador mais bem votada nas três últimas eleições, essa foi a primeira vez que seu partido conquistar uma  cadeira na câmara de vereadores na capital mineira.

A atuação de Áurea política iniciou através do movimento do hip hop, no momento em que iniciava sua carreira como cantora, O hip-hop foi minha escola de formação sobre gênero, sobre racismo, sobre luta antirracista, a luta por igualdade”.

Áurea é cientista política, formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com especialização em Gênero e Igualdade pela Universidade Autônoma de Barcelona. É também educadora popular, com atuação em ONGs

E o que falar da beleza da senegalesa Khoudia Diop? Não sabe de quem estamos falando?

Khoudia é uma das integrantes da campanha  The Colored Girl: Rebirth (O Renascimento da Mulher Negra), o projeto é assinado por Victory Jones e Tori Elizabeth, o projeto lançado e visa valorizar a beleza negra colocando em destaque a pluralidade dos tons de pele negra.

🙈

Uma foto publicada por Khoudia diop (@melaniin.goddess) em


Khoudia acabou chamando mais atenção dos internautas do que as outras modelos devido ao tom mais escuro de pele, e por esse motivo acabou recebendo o apelido amoroso de Deusa da Melanina.

melanina_vou_de_preta

Como nem tudo são flores Khoudia compartilhou em sua conta no instagram um recado aos  haters: “Bullies me chamavam de tudo quanto é nome, pensando que eu me sentiria mal pelo o tom da minha pele, mas, quer saber? Amo todos os haters e mostrei o quanto não me importo com o que eles pensam.”

Ainda que seja a passos lentos, as coisas estão começando a mudar,  nós mulheres negras estaremos cada vez mais sendo protagonistas de nossas histórias, ocuparemos cada vez mais os lugares de destaque, ainda que para nós seja duas, três, quatros vezes mais difícil.

É o poder, aceita porque dói menos
De longe falam alto, mas de perto tão pequenos
Se afogam no próprio veneno, tão ingênuos
Se a carapuça serve, falo mesmo
E eu cobro quem me deve
É o Poder – Karol Conka

sign-Dai

Baú de Memórias: Sociedade Recreativa União Operária, os 80 anos começam agora

Já falamos aqui do resgaste histórico que vem sendo organizado na cidade de Criciúma (SC) a fim de restaurar e reabrir um dos clubes negros do estado, a Sociedade Recreativa União Operária. Como forma de iniciar a comemoração dos 80 anos da sociedade que se realizarão no ano de 2017, foi montada uma organização, na qual o  nosso blog está incluso, a Organização Asante Baobá, formada pelos grupos Coletivo Chega de Racismo, Blog Vou de Preta,  Neab da UNESC (Universidade do Extremo Sul Catarinense) e a professora Karlis Fernandes, organizaram uma noite repleta de boas memórias e emoções.

dsc07593

 

A fim de homenagear os ex-presidentes e reunir todas as pessoas saudosas de um ambiente tão familiar às famílias negras da cidade, um jantar comemorativo foi idealizado, e o resultado dessa noite é algo que todos os presentes guardarão na memória por muito tempo.

Embalados pelo griô criado pela professora Karlis Feranandes, os ex-presidentes ainda vivos, foram recebendo uma bela homenagem, uma representação em tela de um baobá, uma árvore tradicional africana, que simboliza a força e a sabedoria, a União Operária cresceu forte como um baobá, em seu tronco forte e viçoso muitas relações de amor e amizade surgiram, a sombra do baobá União Operária , os negros de Criciúma se ergueram perante o racismo, construindo para a comunidade negra um lugar de lazer, já que não era permitido que entrassem em outros clubes.

fotorcreatedA melhor impressão que se pode ter dessa noite foi o anseio das famílias em ver nosso clube ativo novamente, de poder contar com com lugar para reunir seus entes queridos em torno de uma boa conversa, de poder mostrar para as novas gerações que nós temos o nosso lugar, lugar esse que foi construído e mantido por homens de fibra e determinação, por sonhadores que não se curvaram perante o racismo pungente de uma sociedade que muitas vezes nega a presença e contribuição dos negros.  Que esse seja  o pontapé inicial para o renascimento dessa entidade que é de grande importância não só cultural mas também afetiva para todos nós.

 

Asante Sociedade Recreativa União Operária.

sign-Dani